• Rodrigo Ceregatti Franco

O futuro conosco

Bom, parto aqui de uma série de pressupostos que não poderão ser demonstrados em prontidão. Tudo bem, afinal o que seriam dos romances sem o passar do tempo, não é mesmo?


Como escrito em algum lugar por aqui, a construção deste site é praticamente um exercício batido em técnica para mim, mas que porém se renova em seu potencial. O trânsito crítico pelas diversas áreas do conhecimento está em vias de ser decupado.


Cito um colega professor, tempos atrás grande mestre: 'o conhecimento é revolucionário: multiplica-se dividindo'. Parece que o papel de todo mestre é ser desconstruido. Por fim, voltamos à nossa condição humana.


O que escrever quando se tem tanto a compartilhar? Tantas experiências, tantos exemplos, tantas certezas do que não fazer... Talvez todo prólogo carregue consigo o germe de seu posfácio.


Eis nossa primeira lição: os padrões da estética não podem ser ignorados. Assim como é possível dizer que na harmonia reside a perfeição, é na busca da perfeição que nos descobrimos humanos. Seguimos então, mentes focadas em nosso devir, a eterna construção do ato de construir.